Câmara Municipal de Gondomar

Avança a expropriação por utilidade pública dos terrenos do Parque Urbano de Gondomar
publicado a 10 de julho de 2019

A Câmara Municipal de Gondomar deliberou, em sessão pública descentralizada realizada hoje no edifício da Junta de Freguesia de Rio Tinto, aprovar a resolução de expropriação dos terrenos destinados à construção do Parque Urbano de Gondomar. A proposta, aprovada com três abstenções, da CDU e do PSD, permite iniciar o procedimento de expropriação por utilidade pública, nomeadamente a solicitação à Secretaria de Estado da Administração Local da declaração de utilidade pública, bem como a posterior posse administrativa dos terrenos.

Esta decisão da Câmara, fundamental para a devolução desta zona central aos gondomarenses, tem um custo orçamentado em quase 2,8 milhões de euros.

No espaço, que apresenta hoje um estado de conservação não condizente com os equipamentos que o rodeiam, surgirá um novo espaço verde com uma área superior a 14 mil metros quadrados, que contará com um circuito de manutenção, equipamentos para ginástica sénior, um parque infantil e, ainda, um anfiteatro. Estão também contempladas novas acessibilidades, nomeadamente à autoestrada e à futura linha de metro.

O projeto terá um custo total previsto de quatro milhões de euros, estando o arranque da obra previsto para a primavera de 2020 e a sua conclusão para o segundo semestre desse mesmo ano.

Com este novo espaço, o Município eleva para nove o número de parques urbanos da rede concelhia, quatro dos quais na freguesia de São Cosme. A aposta nestes equipamentos verdes iniciou-se com o parque urbano de Rio Tinto, ao qual se juntará ainda este ano o de Fânzeres/São Cosme. A rede inclui também os parques de Ramalde (São Cosme), ribeira da Archeira (São Cosme e Valbom), São Pedro da Cova, Medas, nascente do rio Torto (Baguim do Monte) e Monte Crasto (São Cosme).

 

Ao visitar este website, está a consentir a utilização de cookies.