Câmara Municipal de Gondomar

Gondomar Jazz 2019

6 JUN | 21.45
Terraço da Biblioteca Municipal de Gondomar Camilo de Oliveira
BMG BIG BAND
A BMG Big Band nasceu com o convite efetuado pela Federação das Coletividades do Concelho de Gondomar para participação anualmente na Feira do Livro de Gondomar, a fim de abrilhantar um dos seus serões! Assim, a 12 de setembro do ano de 2006, a Orquestra Ligeira da Banda Musical de Gondomar efetuou a sua primeira atuação, na altura com a designação de Grupo de Sopros da Banda Musical de Gondomar.
Desde então o grupo cresceu e apresenta-se atualmente com mais do dobro dos músicos que teve na sua estreia, com repertório muito diferente e mais abrangente, daí a alteração para a atual designação do agrupamento. Desde a sua criação, tem realizado inúmeros concertos, colaborando com escolas, associações, entidades públicas e todo o tipo de eventos sociais, relevando como auge recente do seu breve historial a participação no 2.º Encontro de Orquestras Ligeiras Porto 2009, a convite da “Let’s Groove Big Band”.
Pretende-se assim, para além de exercer uma função dinamizadora em relação à própria associação (Banda Musical de Gondomar), onde está inserida, dar oportunidade aos músicos de contatarem com um repertório e linguagem diferentes e de mostrarem o que melhor sabem fazer: tocar.

7 JUN | 21.45
Anfiteatro do Largo do Souto
CAMANÉ & MÁRIO LAGINHA
Do excelente entendimento sentido nas colaborações esporádicas entre Camané e Mário Laginha resultou o inevitável aprofundamento dessa simbiose. “Aqui está-se sossegado” é pensado de raiz para dar mais brilho a uma voz e a um piano que se descobriram cúmplices. O novo projeto conta com cerca de duas dezenas de temas, saídos do cânone fadista tradicional do repertório de Camané e inclui inéditos compostos por Mário Laginha.

8 JUN | 21.45
Anfiteatro do Largo do Souto
ORQUESTRA DE JAZZ DE ESPINHO
A Orquestra de Jazz de Espinho, uma estrutura que nasceu no âmbito da Escola Profissional de Música de Espinho, existe desde 2008 com o objetivo de proporcionar uma formação abrangente e esteticamente diversificada aos seus alunos. Desde então o projeto tem-se expandido para além da sua vocação didática produzindo concertos temáticos, repertórios de autor, espetáculos multimédia e multidisciplinares para os mais diversos públicos e faixas etárias.
O prestígio da Orquestra de Jazz tem vido a cimentar-se em vários palcos nacionais.
Regularmente a Orquestra convida solistas de renome e tem, por diversas vezes, sido responsável pela apresentação repertórios inéditos no nosso país.

9 JUN | 21.45
Auditório Municipal de Gondomar
ORQUESTRA PORTUGUESA DE GUITARRAS E BANDOLINS
O ressurgimento do bandolim “erudito”, que ocorreu na Europa no séc. XX, tem vindo lentamente a florescer em Portugal. A OPGBAC-Associação Cultural de Plectro, sediada em Gondomar no Centro Cultural de Rio Tinto Amália Rodrigues-Condomínio das Artes, contribui com um trabalho de desenvolvimento que, através das suas várias valências, tem como objetivo a dinamização e difusão da música de plectro no panorama musical nacional. Este é um projeto que pretende criar um espaço de divulgação e desenvolvimento técnico uniformizado.
A OPGBAC encara o bandolim como um instrumento nobre, para o qual foram compostas obras por alguns dos nomes mais sonantes da história da música como Vivaldi, Caldara, Mozart, Hummel, Beethoven, Verdi, Mahler, Schoenberg, Webern, Boulez… A principal valência da Associação Cultural de Plectro é a Orquestra Portuguesa de Guitarras e Bandolins (OPGB), que nos 10 anos da sua existência contribuiu para uma verdadeira revolução no meio associado à guitarra e ao bandolim, com dezenas de concertos em Portugal e no estrangeiro. A OPGB mantém-se fiel ao seu princípio, servindo-se de um repertório baseado em obras originais para a música de plectro, obtendo desta forma um caráter original na sua sonoridade, motivo pelo qual tem recebido os mais rasgados elogios.
No pleno da sua atividade, a OPGB começou a estrear obras que lhe foram dedicadas por diversos compositores nacionais e internacionais, que culminaram com a edição do seu primeiro CD intitulado “Pleiades”, revelando o prestígio e a confiança que já alcançou. A OPGB conta, neste momento, com 19 músicos efetivos e diversos reforços que asseguram a programação de cada concerto.
A Direção Artística está a cargo de António de Sousa Vieira.
O Maestro Titular é Hélder Magalhães.

Ao visitar este website, está a consentir a utilização de cookies.