Portal Institucional da Câmara Municipal de Gondomar

Geração XXI inicia reavaliação de mais de 8 mil adolescentes do Grande Porto
publicado a 12 de novembro de 2018

A Geração XXI é uma coorte de recém-nascidos acompanhados pelos investigadores do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto (ISPUP) desde 2005. Este estudo único permite investigar e compreender a saúde, o crescimento e o desenvolvimento de mais de 8.600 crianças que nasceram nas maternidades públicas da área metropolitana do Porto, e que estão agora a completar 13 anos. Conhecida como a “Coorte das Crianças”, a Geração XXI entrou na adolescência.

  • Esta coorte de nascimentos, coordenada pelo Presidente do ISPUP, Henrique Barros, é um dos maiores estudos longitudinais da Europa e o único deste tipo alguma vez realizado em Portugal. Tem como objetivo caraterizar o estado de saúde na infância, na adolescência e, mais tarde, na idade adulta, de modo a compreender os processos de construção da saúde até à maturidade biológica e, mais no geral, a biologia e a sociologia do envelhecimento, o qual começa desde o nascimento. Através do estudo desta grande e variada amostra de crianças e do apoio das respetivas famílias, produz-se conhecimento indispensável para re¬tratar a realidade da saúde em Portugal, projetar o seu futuro e, especialmente, fornecem-se as bases científicas para decisões nas políticas de saúde.

Desde o nascimento, os participantes que vivem nos concelhos do Porto, Vila Nova de Gaia, Matosinhos, Maia, Valongo e Gondomar, foram sendo seguidos em vários momentos da vida: aos 6, 15 e 24 meses e aos 4, 7 e 10 anos de idade.

  • A nova avaliação da coorte iniciou em agosto, numa altura em que os participantes começaram a chegar aos 13 anos, havendo agora a possibilidade de conhecer um novo período da sua vida marcado por alterações físicas e comportamentais próprias da adolescência.

Esta avaliação vem dar continuidade a sólidas linhas de investigação, ativamente prosseguidas desde a criação do projeto, como sejam os determinantes do crescimento saudável, a epidemiologia da obesidade, os padrões de curso de vida do metabolismo e da alimentação. Existe também uma grande atenção à saúde respiratória e abriram-se novas linhas de pesquisa, como o estudo da reação à dor crónica em crianças.

Além de muitos exames tradicionalmente presentes em consultas de rotina, mas muitas vezes realizados com maior sofisticação, é também solicitado o preenchimento de um questionário extenso sobre alimentação e outros comportamentos, como consumos de tabaco ou de álcool, ou diferentes aspetos psicossociais.

  • Espera-se, com esta avaliação, conhecer marcadores de risco que permitam prever o desenvolvimento de doenças na vida adulta ou a adoção de comportamentos que as venham a condicionar. “O objetivo é pensar na perspetiva da promoção da saúde – como viver mais e melhor desde muito cedo - e da prevenção das doenças, começando no período da infância, o que se reflete, mais tarde, em ganhos de saúde ao longo da vida”, refere Henrique Barros.

A decorrer no edifício do Centro de Investigação Médica da Universidade do Porto, a avaliação irá estender-se por cerca de um ano e meio. A colaboração dos pais nesta etapa é fundamental.

  • “Temos que, em primeiro lugar, agradecer aos pais dos participantes da Geração XXI o empenho continuado e exemplar ao longo destes anos. As manifestações de interesse, os comentários e críticas. Sobretudo o ajudarem a sociedade a perceber que estão a fazer parte de qualquer coisa maior em saúde e em ciência. Gostaríamos de reforçar o pedido para se manterem ativamente presentes neste estudo, continuando a ser parte deste edifício do conhecimento. Apelamos a que se juntem com os filhos às redes sociais do projeto e que sigam e partilhem as novidades que formos divulgando. A participação dos pais é crucial para o sucesso da coorte”, sublinha.

A Geração XXI tem servido de base para um enorme conjunto de descobertas científicas, em áreas como a saúde perinatal e pediátrica, obesidade e saúde metabólica, estilos de vida, saúde car¬diovascular, saúde músculo-esquelética, e bem-estar psicossocial, mas os dados da coorte permitiram também a realização de dezenas de teses mestrado e de doutoramento, tendo-se revelado de uma enorme importância para a preparação das jovens gerações da saúde pública portuguesa.

Os estudos realizados e a continuidade desta investigação só têm sido possíveis pela equipa de cientistas envolvidos em obter financiamentos através de projetos competitivos nacionais e internacionais. Sem isso, os conhecimentos adquiridos, que servem de fundamento para o planeamento de estratégias de intervenção em saúde em Portugal, nunca teriam existido.

O website da Geração XXI contém toda a informação sobre o projeto.

Rascunho automático 176

Ao visitar este website, está a consentir a utilização de cookies.