Portal Institucional da Câmara Municipal de Gondomar

Marco Martins a honrar compromissos
publicado a 20 de maio de 2016

“O que estamos aqui hoje a fazer é, muito simplesmente, honrar compromissos”. Foram estas as primeiras palavras, ontem à tarde, em plena rotunda das Piscinas, do Presidente da Câmara Municipal de Gondomar, Marco Martins, na apresentação pública do Parque Urbano de Rio Tinto, uma obra com 36.500 metros quadrados que representa um investimento de 2,6 milhões de euros suportados na íntegra pela Autarquia. “Dissemos, em campanha, que íamos parar com o betão. É o que estamos aqui a fazer, parar com o betão no centro de Rio Tinto”, afirmou Marco Martins.

Depois de recordar que “este local foi, durante muitos anos, fustigado, abandonado e maltratado”, o Presidente da Câmara traçou em poucas palavras as linhas gerais da história do da própria freguesia, sublinhando o início do entubamento do rio, em 1996, a destruição do mercado, em 2002, o projeto de 2010 de construção de quatro torres no terreno da feira. “Felizmente, a CCDR chumbou o projeto”. Já em 2012 foi apresentado outro projeto, também de construção em altura, no terreno contíguo à Avenida de Rio Tinto, que “felizmente não avançou”.

“Sempre fui contra isso”, reafirmou Marco Martins. E foi por isso que a sua candidatura defendeu a criação, nesta zona, de um Parque Urbano. “E esse compromisso teve de ganhar corpo, percorrer o seu trajeto, ganhar o seu tempo. Tivemos de resolver problemas, revogar o plano de pormenor para aqui aprovado, esperar pela aprovação de um novo Plano Diretor Municipal, adquirir terrenos e esperar pelo visto do Tribunal de Contas que afasta qualquer dúvida ou suspeita que se possa colocar”, destacou o Presidente da Câmara.

“Foi um processo difícil, complexo e demorado, acompanhado pela Junta de Freguesia, mas também transparente, claro e participado”, prosseguiu Marco Martins. “Aos filmes, aos boatos e às histórias respondemos com factos, com trabalho, com ideias e projetos concretos”. Ainda assim, sublinhou, a Autarquia está disponível para acolher contributos e ideias dos riotintenses, até ao dia 6 de junho, já que o projeto estará exposto na Junta de Freguesia, Centro Cultural, Parque Nascente e Escola Secundária.

Salto civilizacional

Marco Martins falava após a apresentação formal do projeto, efetuada pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal, que não hesitou em classificar a iniciativa, na sua iniciativa, como um “salto civilizacional” para a freguesia e as suas gentes. “Através de um passadiço vamos ligar o Parque Urbano de Rio Tinto ao Parque Oriental do Porto e essa ligação vai dar uma dimensão metropolitana ao projeto que estamos a iniciar aqui, hoje”, destacou Luís Filipe de Araújo.

Já Nuno Fonseca, Presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto, lamentou de seguida, com humor, que não fosse possível “dispor do Parque já amanhã”, depois de referir que o lançamento deste projeto iria ser “a mudança qualitativa que fará de Rio Tinto não apenas uma das maiores freguesias do País, mas uma das melhores freguesias do País”.

Projeto a três dimensões

Marco Martins explanou aquilo que classificou como um “projeto global em três dimensões”: o Parque Urbano de Rio Tinto propriamente dito, a ligação “a um outro muito maior”, de mais de 11 milhões de euros, “que possibilitará a despoluição em definitivo do rio Tinto” e a ligação até ao Polis e à Casa Branca, num total de 16,6 quilómetros em percursos pedonais, e por fim a resolução de problemas de trânsito com filas graves diárias com uma ideia desenvolvida pelo próprio, à época enquanto Presidente da Junta de Freguesia, em 2009.

O concurso público para a construção do Parque Urbano de Rio Tinto será lançado até ao final deste verão, o que possibilitará arrancar com obras no início de 2017.

Projetando o futuro, Marco Martins falou também sobre os parque urbanos de Fânzeres/São Cosme, na avenida da Conduta, desde a avenida da Carvalha até á rotunda do Centro Ciclista, do Monte Crasto, um espaço recentemente devolvido à população e “que se iniciará em 2017”, e ainda de São Cosme/Valbom, através da ribeira da Acheira, ligando o Multiusos, por Valbom, até Gramido. “Até 2020, repito, Gondomar terá estes quatro parques urbanos em funcionamento”, comprometeu-se o Presidente da Câmara Municipal de Gondomar.

Ao visitar este website, está a consentir a utilização de cookies.