Portal Institucional da Câmara Municipal de Gondomar

Resíduos de S. Pedro da Cova começaram a ser removidos
publicado a 2 de outubro de 2014

Paulo Lemos, Secretário de Estado do Ambiente, Marco Martins, Presidente da Câmara Municipal de Gondomar, e vários responsáveis da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, a Agência Portuguesa do Ambiente e da União de Freguesias de Fânzeres e S. Pedro da Cova assistiram, hoje, à saída do primeiro camião carregado de resíduos industriais perigosos depositados nas escombreiras das antigas minas de S. Pedro da Cova. Os resíduos vão ser transportados para a Charneca, onde vão ser tratados.

“É um momento carregado de simbolismo. Vai ficar resolvido um problema criado no passado e que, por ação deste Executivo, em parceria com o Governo, a autarquia local e outras entidades, está a caminho de um final feliz”, disse Marco Martins. Para o Presidente do Município, “esta área tem muita história, rios, trilhos pedestres, e é essa história, essa cultura, essa natureza que queremos preservar ".

Em causa estão cerca de 20 hectares que poderão vir a integrar o Pulmão Verde da Área Metropolitano do Porto, um projeto partilhado por Paredes e Valongo e que, conforme esperam os autarcas, quer da Câmara quer da União de Freguesias, seja alvo de uma candidatura a fundos europeus em jeito de "compensação" à população da zona.

A garantia de que os lençóis freáticos estão a ser monitorizados foi dada hoje pelo secretário de Estado do Ambiente. "Estão a ser feitas análises regulares. As conclusões que chegaram das primeiras é de que não há vestígios lixiviados", disse Paulo Lemos, acrescentando, no entanto, que as águas "não são aconselháveis para consumo humano".

O investimento que garante a retirada destas 88 mil toneladas de resíduos industriais perigosos, cuja conclusão se prevê para maio de 2015, é de 13 milhões de euros.

Ao visitar este website, está a consentir a utilização de cookies.