Câmara Municipal de Gondomar

Serras do Porto a caminho da Rede Nacional de Áreas Protegidas
publicado a 8 de junho de 2019

O Parque das Serras do Porto tem condições para integrar a Rede Nacional de Áreas Protegidas. Foi esta a boa nova que Sandra Sarmento, Diretora Regional (Norte) do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, partilhou hoje, em Aguiar do Sousa (Paredes), na sessão final que marcou a reta final do programa de quatro dias da segunda edição dos Encontros com o Parque, após uma caminhada com mais de uma centena de crianças e jovens. Destaque, ainda, para a formação do Clube das Escolas do Parque, a que hoje aderiram 12 escolas dos três municípios (Gondomar, Paredes e Valongo) que formaram o Parque das Serras do Porto.

Antes, já Marco Martins, Presidente do Parque das Serras do Porto, tinha sublinhado, numa sala cheia na Quinta da Costa, o “grande ativo que está aqui ao lado do Porto” que “vale a pena preservar e tornar acessível a todos”. Para o também Presidente da Câmara Municipal de Gondomar, o importante, agora, é “passar a palavra”, porque, como disse, “o parque não é nosso, é de todos vós”.

Para sintetizar o momento que tinha vivido, José Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal de Valongo, encontrou três palavras: emoções, ações e gerações. “É impressionante o poder destas serras, da natureza e da vontade, emoções; andamos a fazer uma coisa que é muito rara, andamos a fazer coisas, ações; e, por fim, acreditem, não é fácil ter gerações e estão aqui várias”, sublinhou o autarca.

Já Francisco Leal, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Paredes, destacou a “programação abrangente” destes Encontros com o Parque, que traduzem um “projeto comum cada vez mais participativo”.

A jornada ficou concluída com a passagem do último vídeo da autoria do reputado fotógrafo e documentarista Paulo Ferreira, também ele um homem da terra, natural e residente neste espaço. “Parque das Serras do Porto” é um retrato da enorme riqueza arqueológica, geológica, biológica e imaterial que a Natureza proporciona, graças às serras de Santa Justa, Pias, Castiçal, Santa Iria, Flores e Banjas, aos rios Sousa, Ferreira e Douro e aos seis mil hectares de território estratégico no seio da Área Metropolitana do Porto.