Portal Institucional da Câmara Municipal de Gondomar

Colheita de sangue
publicado a 4 de junho de 2014

Trabalhadores da Câmara Municipal de Gondomar participaram, hoje de manhã, numa colheita de sangue organizada pela Associação de Dadores de Sangue de Gondomar, em representação do Instituto Português do Sangue e da Transplantação. O Presidente do Município, Marco Martins, associou-se à iniciativa, que teve acolhimento superior à expetativa.

O sangue tem uma importância enorme na vida humana e mesmo ao nível do nosso imaginário tem um papel e um peso fundamentais.

Qual a importância do sangue?
O sangue é um tecido composto por várias células suspensas num líquido chamado plasma. O plasma é constituído por água, sais minerais, moléculas hidrossolúveis. O sangue é constituído por glóbulos vermelhos e glóbulos brancos e as plaquetas. O órgão que produz estas células é a medula óssea. O sangue cumpre funções essenciais ao organismo, como o transporte de oxigénio, nutrientes, hormonas, dióxido de carbono e outros produtos do catabolismo. O sangue tem uma importância enorme na vida humana e mesmo ao nível do nosso imaginário tem um papel e um peso fundamentais.

Porquê dar sangue?
O sangue é algo que não se fabrica. Por isso, quando são necessárias transfusões apenas se pode contar com o sangue que existe nos serviços de sangue, o qual depende do gesto humano daqueles que doam o seu sangue. Todos os dias é necessário sangue nos hospitais: para pessoas que sofrem de anemia, que sofreram acidentes ou que foram submetidas a cirurgias, quimioterapia, entre outros casos. Por isso é importante dar sangue.

Quem pode dar sangue?
Podem dar sangue todas as pessoas saudáveis, com idades entre os 18 e os 65 anos e peso superior a 50 quilos. Para a primeira dádiva o limite de idade é de 60 anos. Os homens podem dar sangue de três em três meses e as mulheres de quatro em quatro meses. Quando se vai dar sangue não se deve estar em jejum. Deve-se, antes, comer uma refeição livre de gorduras e álcool, como uma sanduíche ou um sumo. O dador de sangue é sempre observado pelo médico antes da doação, sendo submetido a alguns exames sumários. Caso se registe alguma anomalia que possa significar prejuízo para a saúde do doador, a doação será suspensa.

Quem pode receber sangue?
Qualquer pessoa é um candidato a receber sangue, porque qualquer pessoa corre o risco de passar por uma situação que a obrigue a necessitar deste líquido precioso. E não deve ser o doente a esperar, no hospital, pelo sangue; este deve estar à espera do doente na unidade. As transfusões são seguras. Essa segurança começa, em primeiro lugar, na benevolência da dádiva, anónima e gratuita. O sangue doado é criteriosamente analisado e apenas será usado se cumprir todas as exigências explicitadas na lei em vigor. A transfusão autóloga ou autotransfusão consiste num processo de colheita de sangue, antes de uma cirurgia programada, de forma a que essas unidades sejam posteriormente administradas no doente. Neste caso o dador é o próprio recetor. Este processo tem a grande vantagem de o doente receber o seu próprio sangue.

Ao visitar este website, está a consentir a utilização de cookies.