Câmara Municipal de Gondomar

Portugal e Espanha disputam a final do Europeu de futsal
publicado a 15 de fevereiro de 2019

Portugal e Espanha qualificaram-se, esta noite, para a final do primeiro Campeonato da Europa de Futsal Feminino, que se disputa no Multiusos de Gondomar, ao baterem, nas respetivas meias-finais, a Ucrância (1-5) e a Rússia (0-5).

Para confirmarem o favoritismo que lhes era atribuído, as seleções de Espanha e Portugal tiveram experiências diferentes, já que a Rússia acabou por se revelar uma presa fácil às mãos das espanholas e a Ucrânia um adversário matreiro que a seleção nacional controlava mas… não marcava.

Um ano depois da vitória de Portugal no Europeu masculino, na Eslovénia, Portugal tenta agora um feito duplamente inédito na modalidade: o triunfo em femininos, a dupla vitória nos dois sexos.

Chuva de golos que não foram
Tecnicamente superiores e muito motivadas pelo público, que não regateou apoio durante todo a partida, as portuguesas exibiram um plano tático empenhado e de nível competitivo superior. Com menos de cinco minutos de jogo, após jogada envolvente, Carla Vanessa rematou com estrondo à barra e o Multiusos vibrou como se de um golo se tratasse.

As oportunidades sucederam-se a um ritmo elevado, ante uma Ucrânia que não se resignava, nem se dava por vencida. Fifó, Pisko, Sara, Janice Ferreira, Jenny, Inês Fernandes e Carla Vanessa bem tentaram, mas a trave e as mãos da guarda-redes Sagaidachna tudo paravam. Até que, a menos de sete minutos do fim da primeira parte, Janice marcou finalmente para Portugal, após defesa incompleta a um primeiro remate de Fifó. Seguiu-se mais um punhado de bolas perdidas para Portugal, com destaque para um livro direto desbaratado por Carla Vanessa.

Na segunda parte, Portugal entrou como tinha saído. Mas quem não marca sofre e, em contra-ataque, com apenas dois minutos de jogo, Sydorenko restabeleceu a igualdade. O 1-1 premiava a Ucrânia, que nunca baixou os braços, mas castigava Portugal, atendendo à superior produção ofensiva.

Portugal manteve-se dominador, mas… não marcava. E aos 8 minutos, do meio da rua, Fifó – a portuguesa em campo mais esclarecida – repôs a verdade do jogo. Talvez por dispor apenas de vantagem mínima, a seleção nacional não desacelerou e manteve a ambição. E, finalmente, a eficácia surgiu: a 7.30 minutos do fim Carla Vanessa dilatava o marcador, com apenas 90 segundos de jogo por jogar Janice concretizou um belo entendimento com Ana Azevedo e, por fim, Fifó fechou o marcador.

Rússia empurrada para o erro
A Espanha dominou quase por inteiro os 20 minutos iniciais da primeira meia-final da noite, levando para o terreno uma pressão alta que atirou a Rússia para o erro. Não surpreendeu por isso que, a 2.27 minutos do termo da primeira metade, a guarda-redes russa tenha largado a bola a remate de Ampi sobrando para Vanessa Sotelo, que não perdoou. A pouco menos de 30 segundos do fim, a Espanha voltou a cobrar um erro defensivo (erro de marcação de Krupina) que Lucia Gómez González executou.

Na segunda metade, a Rússia continuou a errar e a Espanha… a marcar. Com três golos de diferença e algum desnorte russo à mistura, as espanholas foram ganhando confiança e acentuaram um domínio que, nunca tendo sido posto em causa, foi menos avassalador do que deixa perceber o 0-5 final.

Ao visitar este website, está a consentir a utilização de cookies.