Portal Institucional da Câmara Municipal de Gondomar

“Revolução tranquila” no Andante
publicado a 23 de setembro de 2016

“Fizemos uma revolução tranquila”. A síntese é de Marco Martins, Presidente da Câmara Municipal de Gondomar e Coordenador dos Transportes e da Mobilidade da Área Metropolitana do Porto (AMP), e foi feita, hoje à tarde, na estação de Metro do Campo 24 de Agosto, no Porto, numa cerimónia na presente de Matos Fernandes, Ministro do Ambiente, que assinalou o alargamento do sistema intermodal Andante a 36 novos operadores privados.

“Com o Andante vai ser possível compatibilizar os horários de uns e outros, comparar, ajustar. Em vez de se atrapalharem nas estradas vamos poder criar um algoritmo que organiza os trajetos e os horários”, sublinhou Marco Martins referindo-se ao sistema intermodal que, a partir da próxima segunda-feira, disponibilizará 36 novas linhas, mais de 12 mil quilómetros de viagens de autocarros, por dia. Isto é, “um crescimento de 11% na oferta total do Andante em trajetos de ida e volta, mais de 50% de crescimento em trajetos da rede Andante entre os operadores privados”, disse o Coordenador dos Transportes e da Mobilidade da AMP.

“O Andante implica um sistema de qualidade e quem adere sabe que tem de cumprir os requisitos de um serviço de primeiro mundo, moderno, confortável, eficaz e pontual”, destacou Marco Martins.

O Andante é utilizado por 136 milhões de passageiro por ano, nas suas 129 linhas que percorrem, num dia útil, 109 mil quilómetros.

Na mesma cerimónia foi também assinado um protocolo entre os Transportes Intermodais do Porto e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, com vista ao desenvolvimento de uma nova aplicação para telemóvel. Esta “app” vai permitir ao utente validar as suas viagens com um cartão virtual, para além de disponibilizar informação sobre horários e preços, o que simplifica e elimina obstáculos à utilização dos transportes públicos.

Na sua intervenção, o Ministro do Ambiente disse estar tudo a ser feito para que no dia 1 de janeiro de 2017 a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto passe a ser gerida pelas seis autarquias onde opera. “Irá a Conselho de Ministros muito em breve o decreto-lei que permite a celebração do contrato de gestão e do contrato interadministrativo que foram combinados em julho”, afirmou Matos Fernandes no final da cerimónia de alargamento do sistema intermodal Andante. E acrescentou: “Estamos a trabalhar dentro do calendário para que no dia 1 de janeiro a Área Metropolitana do Porto, e concretamente as seis autarquias onde a STCP presta serviços, sejam as gestoras” da operadora de transportes urbanos.

Ao visitar este website, está a consentir a utilização de cookies.